• João Wilson Savino CarvalhoUniversidade Federal do Amapá – UNIFAP – Amapá – Brasilhttps://orcid.org/0000-0002-5802-3120
  • Silvana MalusáUniversidade Federal de Uberlândia – UFU – Minas Gerais – Brasilhttps://orcid.org/0000-0002-1054-2036
  • Alexandre Leite dos Santos SilvaUniversidade Federal do Piauí – UFPI – Piauí – Brasilhttp://orcid.org/0000-0002-8239-9240
  • Alexandre Fonseca SantosFundação Uberlandense de Turismo Esporte e Lazer – FUTEL – Uberlândia – Minas Gerais – Brasil
  • Liliane Rodrigues VazSecretaria de Estado de Minas Gerais – SEEMG – Minas Gerais – Brasil
  • Fausto Reis NogueiraSecretaria de Estado de Minas Gerais – SEEMG – Minas Gerais – Brasil

DOI: https://doi.org/10.14393/REPOD.issn.2238-8346.v7n3a2018-16

Palavras-chave: Metodologias ativas, Ensino superior, Docência universitária

Para ler o artigo completo, clique aqui: http://www.seer.ufu.br/index.php/revistaeducaopoliticas/article/view/47537

Resumo

Esse artigo tem como objetivo mostrar a importância das metodologias ativas no Ensino Superior e a necessidade, para a sua implantação, de competências pedagógicas do professor universitário. A pesquisa baseou-se na revisão da literatura científica e na aplicação de um questionário a 25 docentes, da área da saúde, de uma universidade mineira. Concluiu que as metodologias ativas estão em consonância com a formação crítica e reflexiva esperada pela educação superior, além de enriquecerem o espaço da sala de aula. Ademais, chegou-se à conclusão que o professor universitário necessita de um espaço permanente e dialógico para a construção da competência pedagógica que favoreça a introdução e o uso eficaz das metodologias ativas.

Educação e Políticas em Debate ISSN: 2238-8346

DOI: https://doi.org/10.14393/REPOD.issn.2238-8346

Publicação EDUFU – Editora da Universidade Federal de Uberlândia

Deixe uma resposta